Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

Quem foram os Reis Magos

De Dentro Geral Em 08/01/2020


E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo (Mt 2,1-2).

As representações pictóricas dos Três Reis Magos que trazem presentes ou que adoram o recém-nascido Jesus são muitas e presentes em todos os séculos, desde a Idade Média até os dias atuais.
Desde os primeiros séculos do cristianismo, uma forte positividade tem sido reconhecida na presença dos Magos, ligada à filosofia da busca da luz espiritual e da rejeição das trevas que se seguiram. Eles eram, portanto, sacerdotes, isto é, homens de oração.

Acredita-se que essas figuras, tão enigmáticas, nada tinham a ver com a história de Jesus, muito menos com o seu contexto, localizado na Palestina do primeiro século. Mas não é assim. Se os três reis vieram de fato da Pérsia, é igualmente certo que havia uma ligação muito estreita entre as duas culturas e religiões: judaísmo e zoroastrismo.

Antes de tudo, é necessário lembrar que na época havia uma forte comunidade judaica na Pérsia (como ainda hoje), derivada da diáspora babilônica ou das deportações de judeus para a Pérsia, que começaram em 597 aC. E então não esqueçamos que a língua mais falada na Palestina, depois disso e do retorno de um grande grupo de judeus ocorridos em 396 aC, era o aramaico, uma língua de origem persa, falada também pelo próprio Jesus.

Os Magos seguiram uma estrela

“Ao ver a estrela, os Magos experimentaram uma grande alegria. Quando entraram na casa, viram a criança com Maria, sua mãe, e se prostraram e o adoraram” (Mt 2,10).

No Evangelho de Mateus, temos apenas referências aos três presentes: ouro, incenso e mirra; o número três tem um forte valor simbólico. Para alguns, indicaria as três raças humanas, descendentes dos três filhos de Noé: Sem, Cam e Jafet.

Os primeiros a atestar o nascimento de Jesus, foram, portanto, pastores e os Três Reis Magos, figuras da época sem capacidade legal e confiabilidade.
Os Magos não eram confiáveis porque não pertenciam ao povo judeu, e os pastores porque, na cultura judaica, eram considerados “impuros” e, por isso, sem qualquer direito de comparecer em tribunal como testemunhas. Desse modo, o atestado relativo ao nascimento de Jesus de ambos não tinha valor.
Esse detalhe, relatado pelos evangelistas, em prejuízo total da credibilidade de seus escritos, confirmaria, precisamente por esse motivo, sua confiabilidade.

Que motivo os evangelistas teriam tido para relatar essa circunstância embaraçosa?
Os astrólogos e os sábios do leste partiram, portanto, para a jornada, pois estavam absolutamente certos de que uma figura real nasceria naquele período em Israel e que isso daria lugar a uma nova era de humanidade. Esses personagens misteriosos são mencionados apenas no Evangelho de Mateus, que fala dos Reis Magos que chegaram a Jerusalém pelo Oriente durante o reinado de Herodes em busca do recém-nascido rei dos judeus (Mt 2,1-5).
Além das lendas, intermináveis, a Igreja sempre as considerou um símbolo do homem que busca a Deus.

O nome dos Três Reis

O cristianismo atribui os nomes de Gaspar, Melquior e Baltazar aos Magos: Melquior seria o mais antigo e seu próprio nome derivaria de Melech, que significa rei. Baltazar derivaria de Balthazar, o mítico rei babilônico, como se sugerisse sua região de origem e Gaspar, para os gregos Galgalath, significa senhor de Saba.

Segundo numerosas lendas, os três Reis Magos chegaram a Belém 13 dias após o nascimento de Cristo.
Ainda hoje o culto dos Magos não é esquecido, diz a lenda que os restos mortais dos Magos foram recuperados na Índia por Santa Helena e depois levados a Constantinopla.

Em 1034, parece que essas relíquias foram transportadas para Milão em uma arca e depositadas na igreja de Santo Eustorgio, rica em simbolismos ligados aos três reis e ainda hoje um local de peregrinação.
O significado de ouro, incenso e mirra é, portanto, o seguinte: ouro porque é o presente reservado aos reis e Jesus é o Rei dos reis, incenso, como testemunho de adoração à sua divindade, porque Jesus é Deus e mirra, usado no culto dos mortos, porque Jesus é homem e como homem, mortal.

O testemunho da custódia na Igreja de Santo Eustorgio, em Milão, encontra-se na inscrição de uma data muito antiga, no lado esquerdo (olhando para a fachada da igreja), que diz: “Basílica Eustorgiana titulo Regibus Magis”, que atestaria a presença dos corpos dos Três Reis. Além disso, a igreja ambrosiana, no calendário e nos livros litúrgicos, que remonta a antes do século X, é chamada Basílica dos Reis.

Em 1164, durante o cerco de Frederico Barba Ruiva, os restos mortais dos Três Reis Magos foram roubados e transportados para Colônia, onde uma bela Basílica foi construída para contê-los e onde agora descansam.
Grande foi o desconforto dos cidadãos no noticiário e Milão tentou várias vezes recuperá-los, mas sem sucesso. Somente o cardeal Ferrari, no início do século passado, conseguiu obter parte dos ossos agora colocados em um precioso tabernáculo acima do altar dos Magos na Basílica Eustorgiana.

A mensagem
Nos magos do oriente está o ser humano que, na luz da estrela, vai até Cristo para adorá-lo em sua humanidade. Os três reis representam as raças e os povos de todo o mundo. Por isso, a Epifania recorda-nos que o único lugar onde podemos encontrar Deus nesta terra é na humanidade de Jesus. Jesus é o maior sinal de Deus para a vida do povo. Após encontrarem o Menino, a estrela desapareceu, pois ela era apenas sinal de onde se encontrava a verdadeira luz, que é Deus.

A SacraTour acredita que os Reis Magos representam todos os povos e nações, chamados ao encontro com Deus, em Jesus Cristo, pois Jesus não veio salvar somente um povo, um grupo religioso, mas ele nasce para salvar os homens e mulheres de todos os povos e nações. Sigamos peregrinando inspirados pela “travessia” vivida pelos Magos, que é a mesma que todos experimentamos em nossa contínua busca.

Compartilhe!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.