Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! contato[email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

As lembranças da Terra Santa: o que trazemos de uma peregrinação

De Dentro Geral, Terra Santa Em 26/06/2020


Sair em peregrinação tem um significado bastante amplo. Em primeiro lugar, um peregrino não é um viajante comum que passa pelos lugares a procura de belas fotos e compras. (claro que não deixamos de fazer essas coisas também!). Mas o ato de peregrinar vai além, tem a ver com caminhar. E não somente percorrendo o caminho que a paisagem do lugar nos oferece. Quando se é um peregrino o lugar é um tipo de complemento para os sentimentos que já existiam na pessoa. Além disso, geralmente, a lembrancinha que o peregrino quer trazer do lugar nem sempre é o que os turistas convencionais trariam. Por isso, muitas vezes vemos peregrinos trazendo pequenas pedrinhas como lembranças das viagens que fizeram. E acreditem, essas pedrinhas têm muito valor para quem as trouxe. Lembrando das palavras de Jesus “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. ( Mateus 16, 18)

Sabemos que os desígnios dados à Pedro são calcados da solidez do símbolo de uma pedra, ou seja, a Igreja seria construída em bases sólidas. Assim como são seus preceitos e ensinamentos.

Foi pensando na importância da simbologia da pedra que convidamos alguns dos nossos peregrinos para dividir conosco a importância dessas “lembrancinhas” que na verdade se tornam verdadeiros tesouros. Vamos saber porque essas pedras não são apenas pedras?!

Nosso primeiro depoimento vem da Regina Evangelista. Ela nos conta a relação o belíssimo significado das pedras para sua vida: “A vida do cristão tem muito a ver com a pedra porque a palavra de Deus nos ensina que Jesus Cristo é a pedra angular. E, em outra palavra, também vai nos dizer que devemos construir a nossa casa, ou seja, a nossa vida sob a rocha firme que é Jesus Cristo. Então, essa pedra lá de Jerusalém tem um grande significado para mim; é a terra de Jesus e foi lá que Ele viveu, nasceu e com certeza aquela terra foi lavada com o sangue de Jesus e de lá jorrou sangue e água do coração de Jesus. E Jerusalém, a Terra Santa, é um lugar muito abençoado e a pedra é este símbolo de força e de firmeza que simboliza o próprio Jesus. Para mim, a pedrinha de Jerusalém tem esse significado, o próprio Cristo, a pedra que simboliza o Cristo.

Regina Evangelista

Quando nós construímos uma paróquia, no centro do terreno onde é construída a paróquia, é colocada uma pedra. E o bispo vai lá e abençoa aquele terreno com a pedra no centro. A paróquia que eu ajudei a construir, em Franca, tem uma pedra enorme do lado, que é a pedra que iniciou a construção daquela paróquia. ”

É muito bom saber dos sentimentos das pessoas e o que ficou de mais marcante em suas peregrinações. A nossa peregrina, Regina Nicolau, também compartilhou sua história “O que me motivou a trazer as pedras…tanto das pirâmides como do Monte Sinai e depois do Mar da Galileia, é o fato de a foto ser somente a foto. Mas a pedra é um pedacinho de lá! É como se cada vez que eu olho para a cristaleira da minha casa, num lugar bem visível, onde elas estão, é como se eu sentisse de novo a emoção. Hoje tudo é muito diferente em minha vida; o evangelho é diferente, rezar o terço é diferente, quando a gente contempla os mistérios do terço parece que se revive todos aqueles momentos que a gente passou na Terra Santa.

Regina Nicolau

Eu sempre digo que todo cristão deveria ter a oportunidade de fazer uma viagem dessa, porque renova e fortalece a nossa fé. E é esse sentimento que eu tenho, como se eu tivesse trazido um pedacinho de lá, é diferente da foto, com a pedra parece que eu estou em contato com a santidade que todos esses lugares representam para mim.”

Quem vive um momento de emoção única, geralmente procura guardá-lo na mente para ficar com alguma recordação, foi o que aconteceu com a Matilde Cesnick em sua peregrinação pela Terra Santa: “Parece ter sido um sonho. A emoção ainda faz meu coração pulsar mais forte quando vejo as fotos dos lugares por onde passamos. Trouxe da Terra Santa várias porções de água, terra, ramo de Oliveira e pedras que estão expostos juntamente no meu canto de oração.

Matilde Cesnick

Olhando para esses potes com terra e água, vejo em cada um deles todos os detalhes e os fatos que aconteceram em cada um desses lugares. Olho para esse canto e vejo toda a Terra Santa!!!”

Vimos que os lugares percorridos nas peregrinações são muito marcantes e não há exagero em dizer que eles mudam a vida das pessoas. Seja por proporcionarem um novo olhar diante da vida, ou pela simbologia que representam, como é o caso de nossa peregrina Alessandra Andrade Vieira. Ela nos conta o forte significado dos lugares por onde passou e das pedras que trouxe “Eu trouxe as pedras do Monte Sinai porque, para mim, elas são as testemunhas da palavra de Deus naquele local… além de significarem, a meu ver, a eternidade de Deus e da vida que ele quer para nós, porque estas pedras estão aí desde o início dos tempos, e estarão para sempre. ”

A relação entre a história de Jesus e as pedras é bastante significativa. Se pensarmos que uma pedra significa o início de uma construção, uma edificação, podemos ver sua importância. Jesus é a pedra fundamental da igreja e de nossas vidas. É o que nos sustenta e nos dá solidez, “Jesus é a pedra, que vós, os construtores, desprezastes, e que se tornou a pedra angular” (At 4, 11)”

Nosso alicerce está nos ensinamentos de Jesus e em como edificamos nossa vida segundo Seu desejo.

Quando buscamos os ensinamentos de Jesus, partimos por uma peregrinação interior e muito íntima e nos conectamos com as coisas de Deus. É comum que nas peregrinações pela Terra Santa o contato com o divino seja mais aflorado e a vontade de querer trazer uma lembrança desses momentos é muito comum. Pisamos em terras que Jesus pisou. Mas como vimos, essas pedras não são objetos de idolatria, mas sim, uma lembrança de que devemos sempre nos comunicar e conectar com o Sagrado.

Compartilhe!

Posts Relacionados

2 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.