Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

O testemunho do incrédulo

De Dentro Geral, Vida dos Santos Em 09/04/2018


Entre os evangelistas, somente João recorda o Apóstolo Tomé. O nome “Toma”, em aramaico significa “gêmeo”, como em grego “Didimo”. Nada sabemos de sua origem nem das circunstâncias de sua vocação. Ele aparece pela primeira vez no episódio da ressurreição de Lázaro (Jo 11) e depois na Última Ceia (Jo 14). Mas o episódio pelo qual Tomé é lembrado no decorrer dos séculos como figura proverbial se lê no capítulo 20 de João, quando Jesus aparece aos discípulos e se deixa reconhecer. Tomé não estava presente e não crê no testemunho dos Apóstolos, e, diz que quer ver e tocar nas feridas para crer. Oito dias depois, Jesus reaparece e, uma vez que Tomé está presente, o convida para colocar a mão na ferida e tocar no seu lado. Assim, Tomé o reconhece como Deus. Foi o último a ver o Senhor ressuscitado e o primeiro dos crentes, tornando-se o Apóstolo da Fé.

Crédito: Le Caravage – L’incrédulité de Saint Thomas)


Tomé nos indica o caminho que conduz à fé, que não fica parada nos sentimentos. Ele ultrapassa a porta dos medos e das dúvidas. Ele deixa cair o véu que cobre os olhos, a mente e o coração, que impede de reconhecer além das aparências, nas chagas do corpo e da história, a presença amorosa do Senhor, que não o recrimina, mas o convida a crer.

Assim como fez com Tomé, o Senhor nos espera com paciência e vem ao nosso encontro, mesmo quando procuramos a solidão do orgulho, ou da dor, ou naqueles momentos mais escuros de nossa vida, nas noites traiçoeiras ou quando estamos desiludidos. Ele nos toma pela mão, tem paciência e nos leva a experimentar a sua misericórdia e o seu amor.

 

A devoção popular

A tradição afirma que a pregação de São Tomé se estendeu para fora do Império Romano, chegando até a Síria e a Pérsia e, posteriormente, na Índia, onde fundou a primeira comunidade cristã. Uma antiga tradição da Síria chama São Tomé de “mestre e guia da Igreja da Índia, que ele fundou e dirigiu”. A Igreja Católica celebra São Tomé no dia 3 de julho, recordando o traslado de seus restos mortais para Edessa, (Turquia) no século IV conforme o Missal Romano.

Ele é o patrono dos arquitetos, dos topógrafos, dos agrimensores e da Índia. É festejado também na Igreja Ortodoxa e na Igreja Copta. Atualmente os restos mortais de São Tomé, encontram-se conservados em uma teca em ouro maciço na cidade de Ortona, na Itália. E uma secular tradição também afirma que em Roma, na Basílica de Santa Cruz em Jerusalém, se pode encontrar uma falange do dedo indicador de São Tomé.

Crédito de Lucadideo – Opera propria: Tomba di San Tommaso Apostolo presso la basílica omonima a Ortona (14/04/2013)


 

Oremos pelos refugiados com Papa Francisco

Deus de misericórdia, te pedimos por todos os homens, mulheres e crianças que morreram depois de deixar a sua terra em busca de uma vida melhor. Confiamos a Ti, todos aqueles que já completaram a viagem, suportando o medo, a incerteza e a humilhação, para chegar a um lugar de segurança e de esperança.

Faça que possamos promover um mundo onde ninguém seja obrigado a deixar a própria casa, e onde todos possam viver em liberdade, dignidade e paz. Ajuda-nos a compartilhar com eles as bênçãos que recebemos das Tuas mãos, e a reconhecermos que juntos, como uma única família humana, somos todos migrantes, viandantes da esperança rumo a Ti, onde estaremos na paz e em segurança no teu abraço. (Traduzido do original em italiano por Prof. Delci Filho).

 
 
Fonte:

 

Compartilhe!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.