Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

O Monte das Bem-Aventuranças

De Dentro Geral, Terra Santa Em 04/11/2018


“Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, e, abrindo a sua boca, ele começou a ensinar” (Mt 5,1).

Localizado às margens do Lago Tiberíades, o Monte das Bem-Aventuranças representa a colina onde Jesus teria pronunciado o famoso Discurso da Montanha. «Bem-aventurados os pobres de espírito …»
O Senhor havia deixado Nazaré e morava em Cafarnaum (Mt 4:13), a noroeste do Mar de Genesaré, onde alguns dos doze ou seus parentes moravam. As multidões de que fala o Evangelho se aproximaram daquela pequena cidade de pescadores para encontrar Jesus, mas eles foram em busca Dele também em outros lugares ao redor (cf. Mt 5,1 e 14,14; Mc 6,32-34; Lc 6, 17-19, Jo 6: 2-5).

Vestígios da nossa fé

No início de sua vida pública, Jesus “viajou por toda a Galiléia, ensinando em suas sinagogas, anunciando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doenças e enfermidades no povo”. Sua fama espalhou-se por toda a Síria e levaram-lhe todos os doentes, atormentados por várias doenças e dores, demoníacos, epilépticos e paralíticos, e ele os curou (cf. Mt 4,23- 25).
De acordo com a tradição dos cristãos que habitavam a região desde a época de Jesus, o Discurso da Montanha é um conjunto de ensinamentos de Jesus sobre as bem-aventuranças, e deve ter acontecido em Tabgha.
Com as bem-aventuranças, Jesus “resume as promessas feitas ao povo escolhido a partir de Abraão” (Catecismo da Igreja Católica, 1716).
Considerando este fato, Bento XVI sublinha a diferença entre Moisés e o Senhor, entre o Sinai, um maciço rochoso no deserto, e o Monte das Bem-aventuranças: “quem já esteve lá e continua impressionado na alma com a visão ampla das águas do lago, do céu e do sol, das árvores e dos prados, das flores e do canto dos pássaros, não pode esquecer a maravilhosa atmosfera de paz, de beleza da criação” (Joseph Ratzinger / Bento XVI, Jesus de Nazaré. Transfiguração, página 90).
As bem-aventuranças respondem ao desejo inato de felicidade que Deus colocou nos corações dos homens, anunciando bênçãos e recompensas, mas ao mesmo tempo, são promessas paradoxais, especialmente, aquelas referentes à pobreza, castigo, injustiça e perseguições (cf. Catecismo da Igreja Católica, 1717-1718).
As bem-aventuranças são como uma biografia interna escondida de Jesus, um retrato de sua figura. Aquele que não tem onde reclinar a cabeça (cf. Mt 8,20) é o verdadeiro pobre; aquele que pode dizer de si mesmo: venha a mim porque sou manso e humilde de coração (cf. Mt 11,29), ele é o verdadeiro manso; é o verdadeiro puro de coração e, portanto, contempla Deus sem interrupção.

A Igreja das Bem-Aventuranças

É uma igreja octogonal, coberta por uma cúpula delgada e rodeada por um grande pórtico que atenua a luz e o calor do sol. O uso de basalto negro local, pedra branca de Nazaré e travertino romano forma um conjunto harmonioso e permite que o edifício se destaque entre a vegetação densa do local. No interior, os elementos são organizados com simplicidade de linhas: no meio, o altar, rodeado por uma arquivolta de alabastro; atrás, elevado sobre um pedestal de pórfiro, o Tabernáculo, decorado com cenas da Paixão em bronze dourado no lápis-lazúli; nas janelas se pode ler as palavras das bem-aventuranças; e, para fechar o espaço, a cúpula, com um revestimento em tons dourados. O jardim criado em torno da igreja permite-lhe desfrutar de uma vista esplêndida do lago e do cenário ao entorno. Essa perspectiva no lago é tão incomum que merece ser digna de nota. A própria Igreja atingirá os amantes da arquitetura neo-bizantina por sua peculiaridade de ter sido construída usando materiais locais, como a pedra negra.

A Domus Galilaeae

Para os idealizadores do Centro de Espiritualidade chamado de Domus Galilaeae, o discurso da montanha está no centro da nova evangelização, por isso, iniciaram a construção de uma casa para acomodar os peregrinos na Terra Santa.
“A Domus ocupa 15.000 metros quadrados: uma considerável extensão na qual se interligam os diferentes espaços utilizados para as variadas funções. Destaca-se, o Santuário da Palavra, isto é, o lugar onde a Bíblia é examinada na presença do Santíssimo Sacramento. Também uma biblioteca foi organizada no centro de uma sala, que é circular e é encimada por uma grande tampa de cristal. Ali uma Torá muito antiga é mantida sob uma cabana de vidro; uma igreja dominada por um gigantesco ícone de 56 metros quadrados representando o julgamento universal em cores vivas; um auditório para congressos internacionais com uma vista espetacular do Lago Tiberíades. No centro da Domus tem também um mosteiro com uma capela para a adoração perpétua.
A Domus é um edifício com um extraordinário impacto estético e todos são atraídos pela beleza: judeus, cristãos e ateus. Quem vem, fica fascinado. Em seus dois mil anos de história, a igreja sempre soube que o louvor a Deus deve ser celebrado com o máximo de arte de que o homem é capaz.

Peregrinar com a SacraTour

Nossos roteiros levam você a contemplar os lugares, repousar a visão e rejuvenescer o espírito, enchendo a alma com um sentimento indescritível: a lembrança de Jesus e o eco de suas palavras, que ainda parecem ressoar no ar, vão além do tempo presente.
É nesse clima de profunda espiritualidade que convidamos você para peregrinar conosco sobre os vestígios de nossa fé, acolhendo as Bem-Aventuranças como um testamento espiritual de Jesus escrito para você.

Fontes:
Bíblia Sagrada

– Catecismo da Igreja Católica, (1716-1717-1718)
– Joseph Ratzinger / Bento XVI, Jesus de Nazaré. Transfiguração, página 90.
– Domus Galilaeae International Center

Compartilhe!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.