Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

Dedicação das Basílicas de São Pedro e São Paulo

De Dentro Geral Em 18/11/2018


“Tenho por meu dever, enquanto estiver neste tabernáculo, de manter-vos vigilantes com minhas admoestações. Porque sei que em breve terei de deixá-lo, assim como nosso Senhor Jesus Cristo me fez conhecer. Mas, cuidarei para que, ainda depois do meu falecimento, possais conservar sempre a lembrança dessas coisas. Na realidade, não é baseando-nos em hábeis fábulas imaginadas que nós vos temos feito conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, mas por termos visto a sua majestade com nossos próprios olhos. Porque ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando do seio da glória magnífica lhe foi dirigida esta voz: “Este é o meu Filho muito amado, em quem tenho posto todo o meu afeto”. Essa mesma voz que vinha do céu nós a ouvimos, quando estávamos com ele no monte santo” (1Pd 1,13-18).

A memória da dedicação das Basílicas de São Pedro e de São Paulo é sempre uma nova oportunidade para refletir sobre a figura e a obra dos Príncipe dos Apóstolos.
Erguidas sobre as sepulturas de São Pedro e de São Paulo, não muito longe dos lugares onde sofreram o martírio sob Nero, as basílicas dedicadas a Pedro e Paulo são registradas em uma comemoração, conforme se pode ler no Martirológio Romano, como meta de ininterrupta peregrinação ao longo dos séculos, como sinal de unidade da Igreja.

A Basílica de São Pedro

A Basílica de São Pedro foi construída por Constantino durante o pontificado de Silvestre I (314-335), quando o imperador por meio do Edito de Milão em 313 tinha consolidado a liberdade de culto para os cristãos (já reconhecido em 311 pelo edito de Galério) e favoreceu a construção de numerosas igrejas, sendo a primeira a Basílica de Latrão. Para erguer a Basílica de São Pedro, Constantino fez pavimentar quase todos os mausoléus que se erguiam sobre a necrópole do Vaticano, câmaras funerárias subterrâneas com aterro e nível de toda a área chamada público Sancti Petri.

Na sua forma atual, a basílica foi reconstruída entre a XV e XVII século. O sucessor, Júlio II, confiou o trabalho a Bramante em 1505. Bramante morreu, Michelangelo continuou e levantou a imponente cúpula, que domina a basílica e é sua principal beleza. Finalmente, em 18 de novembro de 1626, a basílica foi concluída e o Papa Urbano VIII realizou a sua consagração. As escavações do século XX, realizadas sob o pontificado de Pio XII, confirmaram que a basílica foi construída à direita do glorioso sepulcro, rodeado por vários outros túmulos orientados para ele e delimitado por uma parede cheia de grafites que ostentam repetidamente os nomes de Cristo, Maria e Pedro.

A Basílica de São Pedro é talvez a igreja mais sagrada e importante da cristandade, localizada na Cidade do Vaticano, no Vaticano; é o coração da Igreja Católica.
A planta da Basílica de São Pedro possui uma nave de 186 metros de comprimento com 4 corredores e o teto de 46 metros de altura. Há uma cúpula de 136 metros de altura (graças a Michelangelo) que tem 42 metros de diâmetro. Os visitantes podem subir os 491 degraus para obter vistas de tirar o fôlego do topo. A fachada da basílica tem 114 metros de largura e 47 metros de altura, com um pórtico triplo arqueado que leva ao átrio, que possui uma fonte central. No total, a Basílica cobre 22.000 m² e pode acomodar 20.000 fiéis. Os visitantes da Basílica Sagrada se aproximam do edifício através da enorme Praça de São Pedro, criada por Bernini. Ele trabalhou na igreja por quase 20 anos e foi responsável por grande parte do mobiliário do interior em 1600. São Pedro é um grande local de peregrinação católica e os cristãos que chegam aqui começam a sua visita beijando o dedão da estátua de bronze de São Pedro, que se encontra no lado direito do altar principal.

A Basílica de São Paulo Fora dos Muros

A Basílica de São Paulo Fora dos Muros fica, por sua vez, sobre o sepulcro do “Apóstolo dos Gentios” na Via Ostiense. Aqui Constantino construiu uma pequena basílica, consagrada por Silvestre I em 18 de novembro de 324, mas depois reconstruída completamente sob Teodósio II e Valentiniano para melhor acomodar o grande número de peregrinos. Essa estrutura permaneceu praticamente intacta até o incêndio de 1823, como resultado da reconstrução que deu à basílica sua forma atual.
Uma estátua do Apóstolo Paulo acolhe o peregrino que está prestes a entrar; o olhar do Apóstolo é pensativo e reflexivo sobre uma vida extraordinária, dividida por uma “espada” que o desafiou; projetando-o onde talvez Paulo, o orgulhoso discípulo de Gamaliel, o rígido observador da Lei, nunca pensasse em ir. O túmulo de Paulo está localizado sob o altar da Confissão, encimado por uma urna que guarda a corrente que o aprisionou. Verdadeiro? Falso? Isso pouco importa. A realidade é outra: “Paulo é!” … Duas escadas levam o peregrino às relíquias: um dos mais sagrados “visitandums est” da Cidade Santa de Roma e de toda a cristandade.

Com a SacraTour ao visitar esses lugares santos, o coração é movido pela visão da última “morada” de São Pedro, no Vaticano e de São Paulo, em Roma. Permanecendo em oração nessas basílicas, encontramos um sentido indefinido e suspenso de tempo, de sua grandeza – procurada na vida – do Apóstolo Pedro, enquanto, sucessor de Cristo e de Paulo, o Apóstolo dos Gentios, e procuramos encontrar o sentido para uma história milenar de fé. O eco de passagens de seus escritos, muitas vezes ouvidas na liturgia dominical, explode na alma dos fiéis. Como nunca antes, percebe-se que as palavras de Pedro e de Paulo ancoram a fé de todo crente.

Fontes:
Missal Romano
Bíblia Sagrada
Santi e Beati
http://www.kressfoundation.org

Compartilhe!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.