Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

Conhecendo pessoalmente as Pirâmides do Egito

De Dentro Geral, Terra Santa, Viagens Culturais Em 22/01/2018


A experiência incrível de estar nas pirâmides!

 

Visitar as pirâmides do Egito faz parte de nossos Roteiros Culturais e nossas viagens à Terra Santa e são, certamente, momentos inesquecíveis para qualquer pessoa – seja peregrino ou não. Das cem pirâmides conhecidas no Egito, a maior (e mais famosa) é a de Quéops, única das sete maravilhas antigas que resiste ao tempo. Quer motivo melhor que este para preparar as malas com destino ao Egito?

 

Basicamente, as pirâmides do Egito são túmulos construídos em pedra para abrigar os corpos dos reis do Egito Antigo, os faraós. As dimensões variavam conforme a importância e o poder do faraó na sociedade. As pedras foram o começo de tudo – cada bloco pesava em média 2,5 toneladas, sendo que o tamanho diminuía de acordo com a altura, e em lugares específicos, como a câmara do rei, havia pedras gigantes, estimadas em até 80 toneladas. Depois de cortados nas pedreiras, os blocos eram lixados e catalogados: escrevia-se o nome do faraó e o do grupo de trabalhadores responsáveis. No total, 2,3 milhões de blocos teriam sido usados na construção da pirâmide de Queóps. Mais uma curiosidade: depois de assentados, os blocos eram cortados em um ângulo de 51º, o que deixava a face da pirâmide lisa!

 

Depois das obras egípcias organizadas pelos antigos reis naqueles períodos, não dá para negar que o termo “faraônico” virou um adjetivo. Representa uma obra gigantesca; suntuosa. Essas pirâmides, além da história, nos fascina por nos fazer imaginar quantas pessoas tiveram que trabalhar por tantos anos para construí-las, nos traz uma demonstração explícita de poder. As pirâmides são a prova física da capacidade humana em se organizar e se superar, ao mesmo tempo que nos ajuda a entender a divindade atribuída aos faraós que conseguiram marcar de forma tão permanente a história da humanidade.

 

Para o Professor de História Thiago Paes, que esteve no Egito em Janeiro deste ano, a sensação de ver pessoalmente as pirâmides é algo indescritível. “Imagina algo que você sempre ouviu falar e que no meu caso, dou aula sobre isso, mas nunca imaginava um dia ver tudo aquilo ao vivo. O sentimento testemunhal é algo que nenhum livro poderá me dar, é parecido com ver a foto de um amigo e poder abraçá-lo. O número de sentidos afetados no segundo caso são únicos.”

 

“Como professor de história, eu vivo para explicar sobre esses povos. Atuo na área da licenciatura há 18 anos, mas ouço falar do Egito há mais de 30. Estudar tanto sobre algo e poder ver ao vivo são complementos únicos.”

 

Para quem pretende conhecer pessoalmente as pirâmides do Egito, o professor Thiago tem uma dica: paciência. “O Egito não é uma nação rica e o turismo informal é a única esperança para milhões de egípcios, sem contar que são pontos turísticos mundiais – a mesma curiosidade que você tem, pessoas do mundo todo também a tem. Portanto, calma, paciência e diante de tudo o que for ver, agradeça por poder estar ali e reflita sobre como a história da humanidade é linda.”

 

“O tempo resiste a tudo, mas as pirâmides resistem ao tempo”.

 
Fontes:

Compartilhe!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.