Blog Sacratour

4003-6134 ou pelo whats app! [email protected]

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar por Título
Pesquisar por Conteúdo
Pesquisar nas postagens
Pesquisar nas paginas
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

A exaltação da Santa Cruz

De Dentro Geral, Terra Santa Em 13/09/2018


“E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda. E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes” (Lc 23, 33-34).

 

No dia 14 de setembro, o calendário litúrgico da Igreja Católica, e também de outras igrejas, incluindo a Igreja Ortodoxa, celebra a Festa da Exaltação da Santa Cruz. Pode parecer estranho que a Igreja dedique um dia para lembrar o terrível instrumento de tortura que foi imposto a nosso Senhor Jesus Cristo, a madeira infame em que ele foi morto injustamente. A cruz foi imediatamente considerada uma preciosa relíquia para os primeiros cristãos, mas depois da morte de Jesus foi perdida e considerada perdida por alguns séculos. Em 320, Santa Helena, mãe do imperador Constantino, recebeu de Deus a graça para encontrar a cruz de Cristo e levá-la para o Ocidente para a adoração do povo de Deus. Para entender completamente essa recorrência, é necessário explicar o verdadeiro significado da cruz. A cruz é a glória de Cristo, a exaltação de Cristo. A cruz é o precioso e inestimável cálice que reúne todos os sofrimentos de Cristo, é a síntese completa de sua paixão, conforme nos atestam as Escrituras: “Agora o Filho do Homem foi glorificado e até mesmo Deus foi glorificado nele, e Ele o glorificará imediatamente” (Jo 13: 31-32). E novamente: “Glorifica-me, Pai, com a glória que tive contigo antes que o mundo existisse” (Jo 17, 5). E ainda: “Pai glorifica seu nome. Então veio uma voz do céu: glorifiquei-a e outra vez a glorificarei” (Jo 12, 28), para indicar a glorificação que se realizou então na cruz. Por isso, a cruz é também exaltação de Cristo. A glorificação de Cristo passa pelo suplício da cruz e sofrimento-glorificação e, enquanto antítese, torna-se fundamental na história da redenção: a cruz se torna o símbolo e o compêndio da religião cristã.

Da Cruz para o Sepulcro

“Havia um homem bom e justo, chamado José, membro do sinédrio, o qual não tinha aprovado a decisão nem a ação dos outros membros. Ele era de Arimatéia, uma cidade da Judeia, e esperava a vinda do Reino de Deus. José foi ter com Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Desceu o corpo da cruz, enrolou-o num lençol e colocou num túmulo escavado na rocha, onde ninguém ainda tinha sido sepultado” (Lc 23, 50-53).

A Igreja do Santo Sepulcro está localizada no bairro Cristão da Cidade Velha, no final do “caminho do sofrimento”, geralmente conhecido como Via Dolorosa. De acordo com a fé cristã, é considerado o lugar da crucificação e sepultamento de Jesus. A Via Dolorosa é um lugar de peregrinação para turistas cristãos e peregrinos de todo o mundo. Achados arqueológicos datam a construção da Igreja no início da época Bizantina, e tudo indica que esta construção era um dos mais importantes edifícios em Jerusalém naquele tempo. Em 614, após a captura da cidade pelo império Persa, a igreja foi destruída quase completamente. Mais tarde, durante o reinado Muçulmano em Jerusalém, o Khalifa ordenou a sua destruição, sem deixar pedra sobre pedra. Com as Cruzadas cristãs em 1099, a Igreja foi gloriosamente reconstruída, e a construção da igreja moderna é baseada principalmente na construção dos cruzados. A Igreja mostra as cinco últimas estações de Jesus em seu caminho para ser crucificado, e outros locais sagrados Cristãos, como a Pedra da Unção, A Descoberta da Gruta da Cruz, o Calvário (Gólgota), Capela dos Francos, e muitos outros. Hoje, a Igreja é governada pelo Patriarca greco-ortodoxo de Jerusalém, a comunidade Armênia e a Ordem Franciscana, e tem um status quo delicado que é mantido entre as três denominações.

Santa Helena e a Cruz De Cristo

Financiada pelo filho Constantino, então, imperador romano, Helena realizou uma peregrinação penitencial à Terra Santa. Foi uma viagem e ao mesmo tempo uma peregrinação, sendo a precursora de milhões de peregrinos que viriam depois por amor a Cristo e por conhecimento das coordenadas geográficas da própria fé. Tinha um objetivo não só espiritual, mas também científico. Por isso, junto a ela, pode ter sido formado um grupo de pesquisadores, estudiosos, religiosos dedicados à prática especiais de culto, para os quais, os lugares santos, os objetos, os sinais concretos da vida de Cristo, fossem tomados como vias de interpretação da mensagem cristã. Seguindo seu interesse e intuição, Helena iniciou na Terra Santa, uma pesquisa sistemática e organizada, dispondo, praticamente, de recursos ilimitados. Percorrendo, assim os lugares da vida de Jesus, assinalados pelas escavações, Helena, inicia a proteger os achados, ordenando a construção da Basílica da Natividade em Belém e da Ascensão, sobre o Monte das Oliveiras. A tradição relata que Helena, subindo ao Gólgota para purificar o sacro lugar porque os romanos haviam construído templos pagãos sobre o monte, descobriu a verdadeira Cruz de Cristo. Conta-se também, que Helena tenha encontrado os instrumentos da Paixão, os quais estão guardados e venerados na Basílica romana de Santa Cruz de Jerusalém, que ela ordenou a construção depois dessa descoberta. As santas relíquias são: parte da Cruz de Cristo, o titulus crucis (a placa com a inscrição), a cruz de um dos ladrões, a esponja que foi embebida de azeite, um prego e parte da coroa de espinhos.

A SacraTour e as Coordenadas Geográficas De Nossa Fé

As peregrinações são uma ferramenta fundamental para sustentar a presença cristã na Terra Santa. Graças às peregrinações, de fato, os cristãos locais têm trabalho e a possibilidade de uma vida digna. Então, as peregrinações com a SacraTour são também uma maneira de tornar realidade essa realidade. Os povos que ali habitam, recebem esse amor da parte dos peregrinos, não só em relação aos lugares, mas também ao povo. É claro que as peregrinações são antes de tudo uma experiência de fé, porque através da peregrinação, ajustamos as coordenadas geográficas de nossa fé e entramos em contato com o que é a nossa história e com aqueles que são os lugares da história da salvação. Assim, em comunhão com toda a Igreja neste dia da Exaltação da Santa Cruz, não nos esqueçamos de repetir durante a nossa jornada, a seguinte jaculatória: Nós vos adoramos Senhor Jesus Cristo e voz bendizemos, porque com vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Fonte:

  • Bíblia Sagrada
  • Santi e Beati
  • Peter Wlaker. Nas pegadas de Jesus – um guia ilustrado dos lugares da Terra Santa.


Conheça nossos roteiros de viagens religiosas


Nós temos condições especiais pra você, entre em contato com a gente: [email protected] ou pelo whats app!

Compartilhe!

Posts Relacionados

1 comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.